Seguidores

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

O sapatinho de cristal (1955)


Depois do interessante episódio de ontem sobre os estúdios da MGM, a TCM exibiu The Glass Slipper (O sapatinho de cristal) de 1955. Versão musical da Cinderela, trazendo Leslie Caron no papel principal, Michael Wilding como o príncipe e Estelle Winwood como “a fada madrinha”.
Nada mais doce para o espírito que essas produções clássicas antigas. A história é uma velha conhecida da humanidade inteira, mas deram uma mexidinha nela, que se tornou mais interessante e lógica. Nessa história, a gata borralheira é uma mocinha que era rejeitada por quase todas as pessoas do lugar onde morava, principalmente por sua madrasta e enteadas que no filme são lindas. A mocinha em questão se chama Ella (interpretada pela atriz e bailarina francesa Leslie Caron) e vive sujinha porque trabalha perto da fuligem e do carvão. A menina tem um espírito rebelde, e claro tem uma baixa estima, e quando a atormentam gosta de lembrar a todos que sua mãe um dia viu nas cartas que ela moraria em um palácio.
Como ela é uma pessoa solitária e não tem amigos sempre vai a um riachinho chorar suas mágoas. Ali ela conhece uma velhinha que é a piada da cidade, porque é esquisitona, meio maluquinha e rouba coisas para depois devolver ao dono ou dona. Resumindo esta senhora é a que se torna sua amiga e lhe dá conselhos e mais tarde se tornará sua “fada madrinha”. Ella (Leslie Caron) se apaixona pelo príncipe Charles (Michael Wilding), acreditando que ele é o filho do cozinheiro do palácio e este lhe dá um convite para participar da festa. Ele lhe ensina alguns passos de dança e ela promete ir. Mas quem lhe arranja o vestido? A velhinha maluca, que provavelmente deve ter “pego emprestado” o luxuoso vestido de alguém. Assim a história ganha mais lógica do que tudo aparecer por um passe de mágica como é na versão original. Ah, assim que a madrasta e as enteadas saem de casa luxuosamente vestidas, é a vez da “cinderela” entrar em ação. E a velhinha está ali para adverti-la que a carruagem só a espera até a meia-noite, porque assim dá tempo dela chegar em casa antes da madrasta e filhas. Ah é lindo ela entrando no palácio com o rico vestido. Todos olham para ela e ficam impressionados, até que ela dança com o príncipe. Perde o sapatinho, etc. Mas só fiquei observando a cena externa do filme fora do palácio, eles filmaram em pleno dia num horário que de acordo com a história era meia-noite, ficou meio esquisitão. Mas não ofuscou o brilho da história.
O mais lindo no filme são sem dúvida os musicais: a atriz Leslie Caron, uma bailarina profissional assim como a inesquecível Cyd Charisse, encanta com o número da cozinha, o do bolo de casamento e a do engano em que ela pensa que perderia o príncipe para uma princesa Egípcia. Realmente a marca da MGM: luxo, sonho, glamour, profissionalismo e atores bailarinos maravilhosos. O filme tem também a participação especial do corpo de balé parisiense da época nas coreografias de seus números musicais. É belo! Um encanto aos olhos.

3 comentários:

Ana Carolina disse...

Olá. Gostaria de comprar o DVD ou VHS do filme "O Sapatinho de Cristal (1955)". Onde eu poderia encontrar?
Obrigada.

M. disse...

Oi Ana Carolina! Você já tentou o Mercado livre? Se não, eu vi este site aqui, e não sei se ainda estão vendendo. Ele estava por R$ 46,00 (quarenta e seis reais). Deixo o link: http://www.quebarato.com.br/classificados/cinderela-o-filme-o-sapatinho-de-cristal-dvd-dublado-raro-1955__971657.html

Carla Marinho disse...

eita meg, grande filme que vimos juntas. e ele prende a atenção pq a gente nem ia ver né? grande beijo