Seguidores

sábado, 13 de setembro de 2008

Ensaio sobre a cegueira (2008)


Hoje fui ao cinema assistir ao filme de Fernando Meirelles, "Ensaio Sobre a Cegueira" e realmente tenho que reconhecer que o filme é um grande merecedor de prêmios. Não dá para descrever cena, por cena e traçar um panorama crítico. Mas sentir a verdade que se traduz em cenas que saíram das páginas do livro do escritor português José Saramago.
É claro que não é um filme para a grande massa, por esse grande público clichezar como filme chato, maçante, deprimente e não compreensível.
Na verdade um filme de arte que consegue dar a sua mensagem a respeito da cegueira humana, uma cegueira que vai muito além da cegueira física. Aliás a cegueira física é apenas o fato. A de que pessoas de uma de determinada localidade são contaminadas por uma espécie de cegueira branca e por causa delas são mantidas em quarentena em uma espécie de clínica ou abrigo. Mas um abrigo que tem guardas a postos, que não tem privacidade, higiene, e muitas outras coisas. As situações em que estão expostas estas pessoas é realmente assustadora e angustiante. Mas tudo é metáfora: a cegueira do mundo e dos homens é a cegueira moral e a espiritual.
O filme é forte, realista e belo em imagens. A mensagem real, a que está implícita, a que está nas entrelinhas, aquela em que se lê na crueza das violações, dos cachorros comendo um cadáver, de humanos tateando sem rumo, desesperados em um mundo de cegos devastado pela fome, pela solidão, pela perda da fé, da razão. E este é o nosso mundo. Quando saímos do cinema e observamos o que está à nossa volta nos damos conta disso. Isso é o mundo real. E José Saramago pôde sim se emocionar com isso. Qualquer um se emociona com a fragilidade humana. A fragilidade diante de um fato trágico (nesse caso a cegueira) que possa nos tomar e nos tornar desprovidos de tudo.
A cegueira que envolve os seres humanos é puro caos. O filme passa uma idéia de apocalipse provocada por essa cegueira, e isso é genial. Uma verdade absoluta, talvez a que ninguém queira enxergar de imediato. O final do filme traz alguma esperança, mostra que há uma saída, basta apenas refletir sobre o que de verdade vai nos tirar essa névoa branca dos olhos.
Para quem gosta de saber detalhes do próprio diretor, deixo aqui o link do blog de Meirelles sobre este filme: BLOG DE BLINDNESS

Um comentário:

Mateus disse...

Realmente, a mensagem nas entrelinhas é fantástica e muito real. Gostei muito de "Blindness", mas só percebi isso algumas horas após assistí-lo.

Abraço
Mateus