Seguidores

sábado, 23 de outubro de 2010

Que tal um vinho?

Foto: Robert Doisneau
De repente em um bar apareceu uma mulher naquela reuniõazinha tão masculina do fim de semana (a cidade era pequena, os tempos eram outros, poucas mulheres frequentavam bares). Ela estava com um olhar triste, parecia ter vagado horas do lado de fora e encontrado repouso ali. Não sabia porquê, mas queria estar em algum lugar no qual nunca havia frequentado, queria observar os estranhos, pensar um pouco. Um homem se aproximou e perguntou que fazia uma mulher tão interessante naquele recinto, ela respondeu: "Nada. Só quero esquecer um pouco". Ele continuou: "Esquecer o quê"? Ela respondeu: "Senhor, não tenho nada a lhe dizer". E baixou a cabeça pensativa. O homem então lhe ofereceu vinho: "Querida, fique sossegada. Aqui está um amigo... Compartilhe comigo este vinho. É por minha conta". A mulher olhou para a bebida por alguns minutos e demoradamente a saboreou, agradeceu ao gentil cavalheiro e se retirou do bar ainda pensativa. No fim da rua, o tipo simples da mulher se misturava aos demais transeuntes que ali transitavam.

2 comentários:

Roderick Verden disse...

Hum... é só isso mesmo?! Sorry minha ignorância, mas não entendi(rs).
E falando em vinho, vc sumiu dos meus blogs, M., e no beldadedaminhavida.blogspot.com tem vinho, viu? Passa lá...

Abraços

Marcio Nicolau disse...

gostei do fragmento literário. Sinto que virão outras taças deste mesmo saboroso vinho.